Projeto de um rastreador GPRS GPS com interface tacógrafo

Rastreador GPRS GPS CellId interface tacografo

Requisitos
Tacógrafo GPRS

Inicialmente este produto era um rastreador comum, mas usando o processador MSP430, Modem e GPS da Richardson (Ericsson). Ele nasceu da parceria de 3 empresas, mas um dos problemas era que a empresa que controlava o sistema GPRS não tinha capacidade para processar as informações. Assim como não tinha interesse em investir na melhoria da sua infraestrutura.

Entretanto, nos contrataram para o desenvolvimento de um sistema de rastreamento semelhante ao atual. Mas, o desafio maior era o volume de dados, devido à grande quantidade de rastreadores.

Por outro lado, na segunda etapa migramos do MSP430 (processador da Texas) para o GT60 (Freescale). Pois, conseguiram atingir o mesmo nível de consumo, mas com um custo mais baixo.

Assim, na terceira etapa o fabricante do modem também fabricava tacógrafos. Dessa forma desejava enviar os dados do tacógrafo para o seu sistema, fazendo uma integração dos dois produtos.

Além disso, o cliente desejava treinar sua equipe de desenvolvimento. Ou seja, de maneira a permitir que eles mesmos fizessem as futuras evoluções do produto.

Solução
Projeto rastreador interface tacógrafo

Pois bem, após a definição dos objetivos desenvolvemos a primeira versão com MSP430. Mas, usando protocolo UDP e compactação para envio dos dados usando modens da Richardson.

O sistema de envio ficou bastantes sofisticado, pois permitia recuperação de histórico, cerca eletrônica etc.

Por outro lado, o que ajudou muito o desenvolvimento, foi o parceiro da empresa, que fazia o sistema de estrutura de internet. Pois ele é uma pessoa que considero um grande analista de sistema e programador, Eduardo Oda.

Mas há que se reconhecer que se tratou de um dos projetos mais tranquilos que fizemos nesse aspecto.

Ao terminar a primeira etapa começamos a segunda etapa. Ou seja, como já tínhamos desenvolvido tudo em Ansi C a migração foi extremamente rápida e quase indolor para o GT60.

Entretanto, a interface com tacógrafo foi um pouco mais enrolada, pois o GT60 tinha somente duas seriais. (uma para modem GPRS e outra para o GPS). Mas precisávamos de uma terceira para o tacógrafo, ou seja, a solução foi emular a serial via software.

Por fim, como o cliente tinha uma equipe bem formada e experiente em projetos, seu treinamento foi tranquilo. O que tornou esse produto um sucesso.

Menu
Precisando de mais informações?